O Que É O Convencionalismo Amoroso Na Poesia Árcade?

Reza June 1, 2022
Arcadismo Estilo Iluminista

A poesia árcade foi um movimento literário que surgiu no século XVIII, na Europa, e se espalhou pelo Brasil durante o período colonial. Esse movimento valorizava a natureza, a simplicidade e a razão, e buscava uma linguagem poética mais clara e objetiva.

No que diz respeito ao amor, a poesia árcade apresentava um modelo idealizado e convencional, que se afastava da paixão arrebatadora e das emoções intensas do amor romântico. O convencionalismo amoroso era uma forma de expressão literária que estabelecia regras e convenções para a representação do amor na poesia árcade.

Características do convencionalismo amoroso na poesia árcade

Algumas das características do convencionalismo amoroso na poesia árcade são:

  • Amor idealizado: o amor na poesia árcade era representado como algo puro, elevado e perfeito, sem as imperfeições e contradições da vida real;
  • Amor platônico: a relação amorosa era vista como uma amizade idealizada, baseada na admiração e na virtude, e não no desejo físico;
  • Amor cortês: o amante era visto como um cavaleiro que devia servir e proteger a amada, seguindo um código de honra e cortesia;
  • Amor bucólico: a natureza era frequentemente utilizada como cenário para as declarações amorosas, e a amada era comparada a elementos naturais, como flores e pássaros;
  • Amor como tema central: a poesia árcade frequentemente tratava do amor como tema central, explorando suas diversas facetas e nuances.

Exemplos de convencionalismo amoroso na poesia árcade

Um exemplo de convencionalismo amoroso na poesia árcade é o soneto “Lira IX”, de Tomás Antônio Gonzaga, que faz parte do livro “Marília de Dirceu”. O poema trata do amor idealizado entre Marília e Dirceu, e apresenta algumas das características do convencionalismo amoroso:

Eu, Marília, não sou algum vaqueiro,
Que viva de guardar alheio gado;
De tosco trato, d’expressões grosseiro,
Dos frios gelos, e dos sóis queimado.
Tenho próprio casal, e nele assisto;
Dou-me ao trabalho, e nele me consolo;
A cismas sou dado, e de sonhos misto;
Vejo o claro lume, ouço o estalar do polo.
Agora solto ao fuso a voz sonora,
Já me alongo nos campos da memória,
Já na solidão medito e suspiro;
Ouço murmurar a fonte amiga, e sinto
Que meu Deus me descerra o Céu, e, com visão benigna,
Me mostra cá em baixo o paraíso.

No poema, o eu lírico se apresenta como um homem culto e refinado, que se dedica ao trabalho e à reflexão. Ele utiliza uma linguagem sofisticada e poética, e apresenta a amada, Marília, como um ser perfeito e elevado, comparando-a a elementos naturais, como a fonte amiga e o paraíso. O amor entre o eu lírico e Marília é visto como uma amizade idealizada, baseada na virtude e na admiração mútua.

Críticas ao convencionalismo amoroso na poesia árcade

O convencionalismo amoroso na poesia árcade foi alvo de críticas por parte de outros movimentos literários, como o romantismo, que surgiu no século XIX. Os românticos valorizavam a emoção, a subjetividade e a originalidade, e viam o convencionalismo amoroso como uma forma de repressão da paixão e da criatividade.

For more information, please click the button below.

Além disso, o convencionalismo amoroso era visto como uma forma de reforçar a posição submissa da mulher na sociedade. Na poesia árcade, a mulher era frequentemente retratada como um ser idealizado e inatingível, que deveria ser objeto de adoração e proteção por parte do homem. Essa visão reforçava a ideia de que a mulher não tinha voz nem autonomia, e devia ser controlada pelos homens.

O convencionalismo amoroso na poesia árcade foi uma forma de expressão literária que estabeleceu regras e convenções para a representação do amor na poesia. Essa forma de expressão valorizava o amor idealizado, platônico, cortês e bucólico, e foi alvo de críticas por parte de outros movimentos literários, como o romantismo. Além disso, o convencionalismo amoroso foi visto como uma forma de reforçar a posição submissa da mulher na sociedade, o que gerou críticas por parte de setores mais progressistas.

FAQs

O convencionalismo amoroso ainda é valorizado na poesia contemporânea?

Embora o convencionalismo amoroso não seja tão valorizado na poesia contemporânea, ainda é possível encontrar poetas que utilizam esse tipo de abordagem em sua escrita. No entanto, é mais comum que os poetas contemporâneos explorem outras facetas do amor, como a paixão, a sexualidade e as relações afetivas complexas.

Qual foi o impacto do convencionalismo amoroso na posição da mulher na sociedade?

O convencionalismo amoroso na poesia árcade reforçou a posição submissa da mulher na sociedade, ao retratá-la como um ser idealizado e inatingível, que devia ser objeto de adoração e proteção por parte do homem. Essa visão contribuiu para a manutenção da desigualdade de gênero e da opressão feminina, e gerou críticas por parte de setores mais progressistas da época.

Quais são as principais diferenças entre o convencionalismo amoroso e o amor romântico?

O convencionalismo amoroso na poesia árcade valorizava o amor idealizado, platônico, cortês e bucólico, e estabelecia regras e convenções para a representação do amor na poesia. Já o amor romântico, que surgiu no século XIX, valorizava a emoção, a subjetividade e a originalidade, e buscava uma expressão mais livre e espontânea do amor. Além disso, o amor romântico frequentemente tratava da paixão arrebatadora e das emoções intensas do amor, enquanto o convencionalismo amoroso procurava reprimir essas emoções em nome da virtude e da razão.

Related video of o que é o convencionalismo amoroso na poesia árcade

Reza Herlambang

Eu sou um escritor profissional na área de educação há mais de 5 anos, escrevendo artigos sobre educação e ensino para crianças na escola.

Leave a Comment

Artikel Terkait