O Produto Da Atividade Humana É Separado De Seu Produtor

Reza September 25, 2022
'Somos a espécie mais perigosa da história' cinco gráficos sobre o

Essa é uma frase que representa uma das principais características da sociedade capitalista: a separação entre o trabalhador e o produto de seu trabalho. Essa separação é resultado de um processo histórico que teve início com a Revolução Industrial, na Inglaterra, no século XVIII. A partir desse momento, a produção em larga escala passou a ser realizada em fábricas com máquinas movidas a vapor, o que permitiu uma maior produtividade.

A origem da separação entre o trabalhador e o produto

Antes da Revolução Industrial, a produção era realizada de forma artesanal, ou seja, o trabalhador era responsável por todo o processo de produção, desde a matéria-prima até o produto final. Dessa forma, não havia uma separação entre o trabalhador e o produto de seu trabalho. Com a Revolução Industrial, a produção em larga escala passou a ser realizada em fábricas, com máquinas movidas a vapor.

Com isso, o trabalhador passou a ser responsável apenas por uma parte do processo de produção, enquanto outras pessoas eram responsáveis por outras partes. Dessa forma, o trabalhador perdeu o controle sobre o processo de produção e, consequentemente, sobre o produto final. Além disso, o trabalhador passou a ser remunerado de acordo com o tempo que trabalhava, e não de acordo com o produto de seu trabalho.

As consequências da separação entre o trabalhador e o produto

A separação entre o trabalhador e o produto de seu trabalho teve diversas consequências para a sociedade. Algumas delas são:

  • O trabalhador perdeu o controle sobre o processo de produção;
  • O trabalhador passou a ser remunerado de acordo com o tempo que trabalhava, e não de acordo com o produto de seu trabalho;
  • A produção em larga escala permitiu uma maior produtividade, mas também uma maior exploração dos trabalhadores;
  • A separação entre o trabalhador e o produto de seu trabalho permitiu o surgimento da propriedade privada dos meios de produção;
  • A separação entre o trabalhador e o produto de seu trabalho criou uma nova classe social: a classe dos capitalistas, que detinha os meios de produção e explorava a classe dos trabalhadores assalariados.

A separação entre o trabalhador e o produto na sociedade atual

A separação entre o trabalhador e o produto de seu trabalho ainda é uma característica da sociedade atual. A produção em larga escala continua sendo realizada em fábricas, e o trabalhador continua sendo responsável apenas por uma parte do processo de produção. Além disso, a remuneração do trabalhador ainda é baseada no tempo que ele trabalha, e não no produto de seu trabalho.

No entanto, é importante destacar que a sociedade atual é mais complexa do que a sociedade da Revolução Industrial. Hoje em dia, existem diversas formas de trabalho que não estão ligadas à produção em larga escala, como o trabalho intelectual e o trabalho autônomo. Além disso, existem movimentos sociais que lutam pela valorização do trabalho e pela criação de novas formas de organização do trabalho.

For more information, please click the button below.

Conclusão

A separação entre o trabalhador e o produto de seu trabalho é uma característica fundamental da sociedade capitalista. Essa separação teve origem na Revolução Industrial, quando a produção em larga escala passou a ser realizada em fábricas com máquinas movidas a vapor. Desde então, o trabalhador perdeu o controle sobre o processo de produção e passou a ser remunerado de acordo com o tempo que trabalha, e não de acordo com o produto de seu trabalho. Essa separação ainda é uma característica da sociedade atual, mas existem movimentos sociais que lutam pela valorização do trabalho e pela criação de novas formas de organização do trabalho.

FAQs

1. Como surgiu a separação entre o trabalhador e o produto de seu trabalho?

A separação entre o trabalhador e o produto de seu trabalho teve origem na Revolução Industrial, quando a produção em larga escala passou a ser realizada em fábricas com máquinas movidas a vapor. Desde então, o trabalhador perdeu o controle sobre o processo de produção e passou a ser remunerado de acordo com o tempo que trabalha, e não de acordo com o produto de seu trabalho.

2. Quais foram as consequências da separação entre o trabalhador e o produto?

Algumas das consequências da separação entre o trabalhador e o produto de seu trabalho são: o trabalhador perdeu o controle sobre o processo de produção; o trabalhador passou a ser remunerado de acordo com o tempo que trabalha, e não de acordo com o produto de seu trabalho; a produção em larga escala permitiu uma maior produtividade, mas também uma maior exploração dos trabalhadores; a separação entre o trabalhador e o produto de seu trabalho permitiu o surgimento da propriedade privada dos meios de produção; e a separação entre o trabalhador e o produto de seu trabalho criou uma nova classe social: a classe dos capitalistas, que detinha os meios de produção e explorava a classe dos trabalhadores assalariados.

3. A separação entre o trabalhador e o produto ainda é uma característica da sociedade atual?

Sim, a separação entre o trabalhador e o produto de seu trabalho ainda é uma característica da sociedade atual. A produção em larga escala continua sendo realizada em fábricas, e o trabalhador continua sendo responsável apenas por uma parte do processo de produção. Além disso, a remuneração do trabalhador ainda é baseada no tempo que ele trabalha, e não no produto de seu trabalho.

Related video of o produto da atividade humana é separado de seu produtor

Reza Herlambang

Eu sou um escritor profissional na área de educação há mais de 5 anos, escrevendo artigos sobre educação e ensino para crianças na escola.

Leave a Comment

Artikel Terkait