Nas Comunidades Surdas As Pessoas Não Surdas São Chamadas De

Reza July 12, 2021
Santuario de Fatima Comunidad sorda en Portugal estuvo en Cova de

As comunidades surdas são compostas por pessoas com deficiência auditiva ou surdez total que usam a língua de sinais para se comunicar. Essas comunidades possuem uma cultura e uma língua próprias, e é comum que as pessoas não surdas que frequentam esses espaços tenham um papel específico e sejam referidas de maneira particular.

O papel das pessoas não surdas nas comunidades surdas

Nas comunidades surdas, as pessoas não surdas podem desempenhar diferentes papéis, dependendo do seu envolvimento e conhecimento da cultura e da língua de sinais. Alguns desses papéis incluem:

  • Intérprete: pessoas que conhecem a língua de sinais e a língua falada e que ajudam na comunicação entre as pessoas surdas e as ouvintes;
  • Educador: pessoas que trabalham em escolas ou instituições para surdos e que auxiliam na educação e na inclusão;
  • Amigo ou parceiro: pessoas que convivem com pessoas surdas e que as acompanham em atividades sociais e culturais;
  • Pesquisador ou estudioso: pessoas que se dedicam a estudar a cultura e a língua de sinais e que contribuem para a produção de conhecimento sobre o tema.

Como as pessoas não surdas são chamadas nas comunidades surdas

Nas comunidades surdas, as pessoas não surdas são chamadas de maneira diferente das pessoas surdas. O termo mais comum utilizado para se referir a essas pessoas é “ouvinte” ou “pessoa ouvinte”. Isso porque a deficiência auditiva é vista como uma característica que define a comunidade surda, e as pessoas que não têm essa deficiência são consideradas ouvintes.

No entanto, é importante destacar que o termo “ouvinte” nem sempre é aceito por todas as pessoas não surdas que frequentam esses espaços, pois pode parecer redutor e limitar a sua identidade a uma única característica. Por isso, algumas pessoas preferem se apresentar pelo seu nome ou por uma descrição mais ampla, como “amigo da comunidade surda”.

A importância da inclusão de pessoas não surdas nas comunidades surdas

A inclusão de pessoas não surdas nas comunidades surdas é fundamental para o fortalecimento da cultura e da língua de sinais e para a promoção da igualdade e da acessibilidade. Algumas das razões pelas quais essa inclusão é importante são:

  • Acesso a informações e serviços: as pessoas não surdas podem ser importantes para facilitar o acesso das pessoas surdas a informações e serviços que não estão disponíveis em língua de sinais, como textos escritos ou vídeos falados;
  • Compreensão e respeito mútuo: a convivência entre pessoas surdas e não surdas pode contribuir para uma maior compreensão e respeito mútuos, além de ajudar a quebrar estereótipos e preconceitos;
  • Fortalecimento da língua de sinais: a presença de pessoas que conhecem e utilizam a língua de sinais pode ajudar a fortalecer e difundir essa língua, além de contribuir para a criação de novas palavras e expressões;
  • Envolvimento em questões políticas e sociais: a participação de pessoas não surdas nas atividades e lutas das comunidades surdas pode ajudar a ampliar o alcance dessas questões e a promover mudanças sociais mais amplas.

Conclusão

Nas comunidades surdas, as pessoas não surdas são chamadas de “ouvintes” ou “pessoas ouvintes” e podem desempenhar diferentes papéis, como intérpretes, educadores, amigos ou pesquisadores. A inclusão dessas pessoas é importante para a promoção da igualdade e acessibilidade, para o fortalecimento da cultura e da língua de sinais e para a ampliação do alcance das questões políticas e sociais das comunidades surdas.

For more information, please click the button below.

FAQs

1. É preciso saber língua de sinais para ser considerado uma pessoa não surda inclusiva?

Não necessariamente. Embora o conhecimento da língua de sinais possa ser uma vantagem para desempenhar alguns papéis nas comunidades surdas, como intérprete ou educador, não é uma exigência para se tornar uma pessoa não surda inclusiva. O mais importante é ter interesse em aprender sobre a cultura e a língua de sinais, respeitar as diferenças e estar disposto a contribuir para a inclusão e a igualdade.

2. Todas as comunidades surdas utilizam a mesma língua de sinais?

Não. Assim como existem diferentes línguas faladas no mundo, também existem diferentes línguas de sinais. Cada país ou região pode ter sua própria língua de sinais, com características e gramática próprias. No Brasil, por exemplo, a língua de sinais utilizada é a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais).

3. Como posso me envolver com as comunidades surdas?

Existem diferentes maneiras de se envolver com as comunidades surdas, dependendo do seu interesse e disponibilidade. Algumas opções são:

  • Aprender língua de sinais: existem cursos presenciais e online de língua de sinais que podem ajudar a aprender sobre essa língua e a cultura surda;
  • Participar de eventos e atividades: as comunidades surdas realizam diferentes eventos e atividades culturais, como festivais de cinema, exposições de arte e apresentações teatrais, que são abertos ao público e podem ser uma oportunidade de conhecer pessoas e aprender mais sobre a cultura surda;
  • Trabalhar em instituições para surdos: existem escolas, associações e outras instituições que trabalham com a inclusão e a educação de pessoas surdas e que podem precisar de profissionais não surdos para auxiliar em diferentes áreas, como pedagogia, psicologia e serviço social.

Related video of nas comunidades surdas as pessoas não surdas são chamadas de

Reza Herlambang

Eu sou um escritor profissional na área de educação há mais de 5 anos, escrevendo artigos sobre educação e ensino para crianças na escola.

Leave a Comment

Artikel Terkait