A Teoria Dos Vidros Quebrados

Reza June 7, 2022
A Teoria dos Vidros Quebrados Crítica Não Parece Mas É Sério

A teoria dos vidros quebrados é uma teoria criminológica que afirma que a desordem em um ambiente pode levar ao aumento da criminalidade. A teoria foi desenvolvida na década de 1980 pelos criminologistas James Q. Wilson e George L. Kelling. Eles argumentaram que a desordem física e social em um ambiente pode criar um clima de medo e insegurança, o que pode levar as pessoas a se retirarem do espaço público, deixando-o vazio para a atividade criminosa.

Origem da teoria dos vidros quebrados

A teoria dos vidros quebrados foi desenvolvida em resposta a um experimento realizado em 1969 por Philip Zimbardo, um psicólogo social da Universidade Stanford. Zimbardo e sua equipe colocaram dois carros idênticos sem placas de identificação em ruas movimentadas de Nova York. O carro em um dos bairros mais pobres da cidade foi vandalizado em menos de 10 minutos, enquanto o carro em um bairro mais rico permaneceu intacto por uma semana.

Wilson e Kelling argumentam que este experimento mostra que a desordem e a falta de supervisão em um ambiente podem levar à criminalidade. Quando os vidros do carro são quebrados, isso envia uma mensagem de que ninguém se importa com o carro ou com o bairro, o que pode encorajar mais atividades criminosas.

Aplicação da teoria dos vidros quebrados

A teoria dos vidros quebrados foi aplicada em várias cidades dos Estados Unidos, incluindo Nova York, Los Angeles e Boston. A política de “tolerância zero” de Nova York, implementada pelo prefeito Rudolph Giuliani na década de 1990, é frequentemente citada como um exemplo de aplicação da teoria dos vidros quebrados.

A política de “tolerância zero” envolveu a aplicação rigorosa da lei em relação a crimes menores, como pichação e mendicância. A ideia era que a aplicação consistente da lei em relação a crimes menores ajudaria a prevenir crimes mais graves, pois a desordem seria eliminada do ambiente. A política foi controversa, pois muitos argumentaram que ela era injusta e discriminatória em relação a grupos marginalizados.

Críticas à teoria dos vidros quebrados

A teoria dos vidros quebrados tem sido criticada por vários motivos. Alguns argumentam que a teoria é simplista demais e não leva em conta as causas mais profundas da criminalidade, como a pobreza e o desemprego. Além disso, alguns argumentam que a teoria é discriminatória em relação a grupos marginalizados, que são frequentemente alvo de políticas de “tolerância zero”.

For more information, please click the button below.

Outros críticos argumentam que a teoria não é apoiada por evidências empíricas. Um estudo realizado em 2017 por pesquisadores da Universidade de Chicago analisou dados de 27 cidades dos Estados Unidos e descobriu que a teoria dos vidros quebrados não estava relacionada ao crime violento. O estudo descobriu que a qualidade de vida em uma comunidade e o envolvimento dos moradores eram mais importantes para prevenir a criminalidade do que a desordem física.

Conclusão

A teoria dos vidros quebrados continua sendo uma teoria influente na criminologia e na política pública. Embora a teoria tenha sido criticada por alguns, muitos argumentam que ela ainda é relevante e útil na prevenção da criminalidade. No entanto, é importante lembrar que a teoria dos vidros quebrados é apenas uma teoria, e que outras abordagens para prevenir a criminalidade também devem ser consideradas.

FAQs

1. A teoria dos vidros quebrados é uma teoria confiável?

Embora a teoria dos vidros quebrados tenha sido influente na criminologia e na política pública, ela tem sido criticada por alguns por ser simplista demais e não levar em conta as causas mais profundas da criminalidade. Além disso, alguns estudos não encontraram evidências que apoiem a teoria dos vidros quebrados.

2. A política de ‘tolerância zero’ é baseada na teoria dos vidros quebrados?

Sim, a política de “tolerância zero” é frequentemente citada como um exemplo de aplicação da teoria dos vidros quebrados. A ideia por trás da política de “tolerância zero” é que a aplicação consistente da lei em relação a crimes menores pode ajudar a prevenir crimes mais graves, eliminando a desordem do ambiente.

3. A teoria dos vidros quebrados é discriminatória em relação a grupos marginalizados?

Alguns argumentam que a teoria dos vidros quebrados é discriminatória em relação a grupos marginalizados, que são frequentemente alvo de políticas de “tolerância zero”. Eles argumentam que as políticas de “tolerância zero” podem ser injustas e discriminatórias em relação a grupos marginalizados, como pessoas de cor e pessoas de baixa renda.

Related video of a teoria dos vidros quebrados

Reza Herlambang

Eu sou um escritor profissional na área de educação há mais de 5 anos, escrevendo artigos sobre educação e ensino para crianças na escola.

Leave a Comment

Artikel Terkait